O autor precisa por os pés no chão

Por Marine
SÃO PAULO

Meu Deus! Faz quase 1 ano que eu não atualizo isso aqui! Peço perdão pelo vacilo.

Nesse 1 ano deu tempo para eu lançar meu livro com uma editora, participar da Bienal de São Paulo, esgotar a tiragem, ficar sem editora e passar pela crise dos vinte (que é tipo a passar pela puberdade só que pior). Por incrível que pareça, a crise dos vinte anos ocupou mais tempo do meu 2014 do que qualquer outra coisa que eu tenha listado. O que é estranho. Mas é a pura verdade.

Dúvidas, dúvidas e mais dúvidas de todos os aspectos atolavam a minha mente. E com tanto questionamento na cabeça eu não conseguia sentar e escrever nem um “olaaaaar, pessoas” no Facebook. É.

Mas já está superado (eu espero, porque agora tenho vinte e um) e não foquemos mais nisso. Vamos falar de coisa boa – que não é a tekpix: A Oficina do Autor está de volta! E agora conta com uma nova equipe linda e maravilhosa de autoras “cariocas” (coloquei entre aspas, porque o resto do país chama todo mundo que mora no RJ de carioca, o que é errado) que estão cheias de ideias para pautas e prometem aparar seu choro desesperado, caro gafanhoto.

Isso aí! Já comemorou? Já mostrou os mamilos? Então pode colocar a camiseta de volta que o assunto agora é sério. A função da pauta de hoje é acabar com as ilusões (não com os sonhos!) do autor iniciante. Assim mesmo. Nu e cru.

Como eu disse, 2014 foi um ano cheio de muitas coisas não só para mim, como também para amigos escritores já publicados. Foi um desânimo e crise interna geral. “Será que escrever é mesmo para mim?” era o que o pequeno demônio no ombro esquerdo sussurrou e sussurra nos ouvidos de muitos.

Querido, escrever é mesmo para você. O que não é para você é alimentar a ilusão de que depois que uma editora disser “sim” para seu primeiro livro, as portas do céu irão se abrir. O que de fato vem depois do “sim” é mais um monte de “não”. Não, seu livro não estará em destaque em todas as livrarias. Não, seu livro sequer estará nas livrarias. Não, seu livro não terá uma tiragem enorme. Não, seu lançamento não terá 500 pessoas – no máximo terá sua família e amigos mais próximos. Sim (oba, um “sim”!), as pessoas que disseram “pode publicar seu livro que eu vou ser o primeiro a comprar COM CER-TE-ZA!” vão virar os rostos e começar a assoviar.

Tem exceções? Tem. Mas provavelmente você não será uma delas. E isso não é um desafio ou uma afronta; é a realidade. Pegue a lista de autores mais vendidos ou conceituados (ou ambos); todos ralaram muito para estarem ali. E quando eu digo “ralaram” eu quero dizer “ralaram a bunda meeeeesmo” para estarem ali. Grande parte desses tiveram seus livros lançados independente ou em pequenas editoras. Foram só no segundo ou quarto livro que alcançaram um lugar ao Sol e depois de muito bater em escola e escola, ir de evento a evento, te encher o saco na Bienal do Livro dizendo “toma de presente o marcador do meu livro! Posso falar dele rapidinho para você?”, etc.

Alguns dão “sorte”: ou ganham um concurso literário, ou têm um blog, vlog ou carreira de sucesso, enfim... (entenderam agora o porquê eu escrevi a palavra sorte entre aspas? Porque não foi totalmente o destino que operou na vida da pessoa. Ela também se esforçou). Para esses “sortudos” e para os autores veteranos que já estão no segundo ou quinto livro, alguns itens daquela lista de “nãos” viram “sim”, mas aí – imagine o que acontece! – vêm outras barreiras. Não, não iremos lançar seu novo livro esse ano e nem temos previsão de quando iremos. Não, não sabemos se faremos ou quando faremos uma nova tiragem do seu livro... E por aí vai!

O mercado literário é complexo e funciona para os autores quase como uma “seleção natural”: só os fortes sobrevivem. Só os que conseguem passar por esse choque de realidade e persistem, sobrevivem e vão parar naquela lista que eu citei.

Uma amiga minha (que já vive da escrita e é bastante reconhecida) me disse esses dias que o jovem autor está comemorando demais, e eu concordo plenamente. Nem ela e nem eu estamos querendo dizer que você não pode comemorar suas conquistas. Pode e deve. É para chorar sim, pular sim, postar nas redes sociais, brindar com a família... Tudo isso e um pouco mais. O que não pode é deixar isso te cegar. Quantas vezes eu já dei pulos de alegria junto com minha família e leitores e me esqueci de colocar os pés no chão e perceber a merda (desculpem a expressão) grande que está vindo de encontro a mim? Algumas. O sonho pode sim virar um baita pesadelo que só acaba quando você abre os olhos, respira fundo, sai da cama e batalha um pouco mais.

“Mas o que eu faço? Estou tendo problemas com minha editora/levei calote/a gráfica me entregou um péssimo material...” tenha calma e não desista. Eu sei que é desmotivador e desesperador, mas há muitos autores que estão passando exatamente pelo mesmo ou por algo pior, entretanto continuam divulgando seus trabalhos e sorrindo, sabe por quê? Porque têm os pés no chão e foco.

Enfim, esse post é mais para os novos autores que ainda estão esperando ansiosamente as respostas das editoras, ficarem cientes que o negócio vai ficando mais difícil sim e se preparem psicologicamente para isso. E é também para os autores veteranos, claro: não desista; reúna forças para seguir em frente e seja sensato nas suas próximas decisões que certamente irá alcançar seus objetivos.

É isso, galera. O restante aqui no blog continua funcionando da mesma forma: se concorda ou discorda do post, desça o pau nos comentários. Se tem dúvidas ou sugestões para pautas, nos envie através do e-mail aofinadoautor@hotmail.com

Até o próximo post!


7 comentários:

  1. Ainda de mamilos de fora, não consegui terminar de ler o post,
    Abçs.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto Vanessa, maturidade pura. Assumir que a realidade é foda e temos que enfrentá-la. Obrigada :)

    ResponderExcluir
  3. Concordo com quase tudoooooo.

    Marine é diva com D maiúsculo mermo.

    ResponderExcluir
  4. Aqua Marine <3
    Ainda bem que você escreveu esse texto PORQUE MINHA FILHA, EU TÔ TENTANDO ESCREVER e é ótimo levar esse banho de realidade, mas isso não significa que vou desistir do ramo, vai ter livro da natalha sim (com editora, sem editora, no wattpad, no caderno) MAS VAI TER u-u
    E é bom mesmo esse blog ser atualizado de vdd sua cachorra <3

    Besos
    ~nathália n.
    www.livroterapias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aeeee! Que ótimo que você está escrevendo!!! Só tomar as decisões certas que logo você vai para o infinito e além hahahahahah Beijos!

      Excluir