Especial dia da mulher: personagens


Hoje é o dia internacional da mulher e a literatura está cheia de moças incríveis que nos representam muito bem. Ser mulher não é uma tarefa fácil. Mesmo nos dias de hoje, onde teoricamente nós temos um espaço igual ao dos homens na sociedade, o machismo ainda estampa o nosso dia-a-dia de uma maneira lastimosa. Seja em piadinhas “inofensivas” ou até mesmo na segregação na hora de ser escolhida pra um emprego. Quem é que nunca ouviu que “mulher não entende de futebol” e “esse não é um trabalho de mulher”? Triste né?
Pra provar que lugar de mulher NÃO é na cozinha e que a nossa função no mundo vai muito além da reprodução, escolhi cinco das minhas protagonistas femininas preferidas, que me dão um orgulho danado de lê-las. Vamos lá?

Talia (A Kiss in Time) – Nessa hilária recontagem da história da Bela Adormecida que todos conhecemos a princesa Talia não é apenas um rostinho bonito à espera do seu príncipe encantado. Na verdade ela é uma moça espirituosa e mimada que não aceita ser derrota e vai até o fim pelas coisas que deseja. Mas não é porque Talia nunca foge de um desafio que ela deixa de amar os seus vestidos de festa! Cérebro e beleza são uma combinação que sempre dá certo.
Peregrina (A Hospedeira) – Como toda protagonista de um romance distópico, a Peg vai contra tudo o que seu povo prega. Ela pensa por si própria e vai conhecer com seus próprios olhos a raça humana que sua raça tanto despreza. O que mais gosto na Peg é sua doçura e coragem misturadas, e o fato de que ela tira conclusões através daquilo que experiencia e não do que lhe é dito. Ela segue o seu coração e por causa disso é uma grande heroína.
Suzannah (A Mediadora) – Quem é que não ama a Suze Simon? A menina de dezesseis anos que vê fantasmas e trabalha dando um jeito de chutar o traseiro deles pro Além (literalmente). Suze é engraçadíssima e não tem medo de se machucar (Badass toda vida). Ela é independente e mostra que mulher não precisa de homem nenhum pra dar um jeito nas coisas. O que mais gosto é que, apesar disso, a Suze vive em busca do seu tão esperado primeiro beijo e de impulsionar sua vida amorosa. Independência não quer dizer solidão, fikdik.
Juliette (Estilhaça-me) – Força. Essa é a principal característica da J. Desde criança ela foi condenada pelo poder que possuía e por isso precisou aguentar todo o tipo de coisa. E sobreviveu sem perder a sua essência. Juliette é bondosa, poderosa e de princípios incorruptíveis. Ao longo da trilogia ela aprende a conhecer melhor a si mesma e seu poder, e desperta a líder que sempre existiu dentro de si. Apaixonada, doce, feroz. Eu poderia ficar aqui pra sempre falando sobre o quanto a J parece um bichinho ferido e precisa de amor, mas ao mesmo tempo é feita de aço.
Katniss (Jogos Vorazes) – Quem mais se tornaria o chefe da casa aos onze anos, responsável por alimentar e cuidar de uma criança menor e uma mãe desestruturada? Katniss Everdeen, a heroína dessa geração. Altruísta, calculista e destemida, Katniss foi muitas vezes taxada como fria, mas as circunstâncias da guerra são o que moldam o guerreiro. Ela é uma sobrevivente, aprende a se virar em qualquer situação e a vencer todos os obstáculos. Como é que ela pode ser fria se tudo o que fez foi motivado pelo amor? Eu quero ser a Katniss quando crescer!

Ainda bem que existem muito mais outras protagonistas maravilhosas, assim como as secundárias que marcam tanto a história quanto o personagem principal (Annabeth manda um beijo!). Eu admiro a força dessas moças que têm a coragem necessária pra mudar as coisas ao seu redor. Amanda (protagonista de Novembro) joga futebol melhor do que muito homem e Roxy (protagonista de La La Land) se tornou a maior Estrela da sua geração. Eu e a Marine realizamos nosso sonho de publicar um livro, todas as personagens acima foram escritas por mulheres, a princesa Isabel libertou os escravos no Brasil e a minha mãe é muito feliz cuidando das suas duas filhas e do seu trabalho como pizzaiola aqui em casa.
A questão é: Mulheres são capazes de fazer qualquer coisa que desejam. Seja pilotando um avião ou sendo dona de casa. E é essa igualdade que nós buscamos todos os dias.
Parabéns a todas vocês do sexo feminino que fazem milhares de tarefas ao mesmo tempo e ainda tem um sorriso no rosto no final do dia. Vocês são as grandes heroínas do dia-a-dia.

E pra você, leitor, quais sãos as protagonistas que mais te marcaram? Deixe seu comentário!

Nenhum comentário:

Postar um comentário